Ladysmith Black Mambazo – Amazing Grace

Amazing Grace é um famoso hino gospel composto em 1779 pelo compositor inglês John Newton. Existe um pequeno histórico deste famoso hino cristão na enciclopédia eletrônica Wikipedia, leia:

Depois de um curto tempo na Marinha Real, John Newton iniciou sua carreira comotraficante de escravos. Certo dia, durante uma de suas viagens, o navio de Newton foi fortemente afetado por uma tempestade. Momentos depois de ele deixar o convés, o marinheiro que tomou o seu lugar foi jogado ao mar, por isso ele próprio guiou a embarcação pela tempestade. Mais tarde ele comentou que durante a tempestade ele sentiu que estavam tão frágeis e desamparados e concluiu que somente a Graça de Deus poderia salvá-los naquele momento. Incentivado por esse acontecimento e pelo que havia lido no livro, Imitação de Cristo de Tomás de Kempis, ele resolveu abandonar o tráfico de escravos e tornou-se cristão, o que o levou a compor a canção Amazing Grace (em português“Graça Maravilhosa”).

Conhecendo um pouco sobre a história dessa pérola da canção gospel, você poderá ouvi-la nas maravilhosas vozes do grupo Ladysmith Black Mambazzo. Grupo nascido na África do Sul e fundado por Joseph Shabalala por volta dos anos 50. O nome vem do resultado de TODAS as competições que participaram e ganharam: “Ladysmith” é o nome da cidade de nascimento de Shabalala; “Black” representa bois negros, que são os animais mais fortes da fazenda e a palavra zulu “Mambazo”, significa “Machado”, instrumento que representa a capacidade que o grupo tem de “derrubar” todas as competições. Eles eram tão bons, que em certo tempo foram proibidos de competirem. Só participavam para entreter o público.

Em termos de cultura, o grupo representa a cultura tradicional do seu país, sendo uma espécie de emissários de uma nova África do Sul. Acompanharam por diversas vezes o então presidente, Nelson Mandela em diversas ocasiões.

O grupo ganhou notoriedade nos anos 80, quando Paul Simon foi até a África do Sul e conheceu Shabalala e os outros integrantes do grupo. Ficou tão  impressionado com a harmonia dos baixos, contraltos e tenores que resolveu incorporar esse som em seu album “Graceland”. Essa junção da música de Simon e do Ladysmith Black Mambazo rendeu na época ,vários prêmios Grammy e se tornou um dos albuns referenciais na carreira de ambos. Ouça Diamonds onthe soles of her shoes, que parte deste album:

O Ladysmith Black Mambazo, com impressionante harmonia vocal, dança, gestuais que se referem sempre à natureza, são personagens principais deste blog hoje, em uma interpretação adaptada ao estilo zulu de Amazing Grace, esse clássico do gospel. Veja como ficou:

Fontes: Wikipedia e Site oficial do Ladysmith Black Mambazo


obs:  Esse post é dedicado à professora, pesquisadora, cantora e regente do coral da Universidade Tuiuti do Paraná, em Curitiba no Paraná, Liane Guariente, uma profunda conhecedora da voz humana e das suas milhares de possibilidades e potencialidades.

Schlomo & vocal Orchestra – Teardrop

Na enciclopédia virtual Wikipedia, pode se encontrar o significado do BeatBox da seguinte maneira:

” O termo beatbox (que, a partir do inglês, significa literalmente caixa de batida) refere-se a percussão vocal do hip-hop. Consiste na arte em reproduzir sons de bateria com a vozbocacavidade nasal. Também envolve o canto, imitação vocal de efeitos de DJs, simulação de cornetas, cordas e outros instrumentos musicais, além de outros efeitos sonoros.”

Embora frequentemente associado ao estilo hip-hop, o beatbox tem diversas utilizações em vários estilos musicais, como já vimos no post do grupo paulista Barbatuques, Vocal Sampling, Cosmos, etc, ou seja, a utilização do corpo e da voz para imitar instrumentos.

Neste post, vamos conhecer um dos pioneiros desta arte de imitar instrumentos, que é  o inglês, descendente de Israelenses, iraquianos e alemães, Simon Schlompo. Ele vem fazendo isso desde 2004, quando participou da abertura dos jogos olímpicos em Atenas. No mesmo ano, ele foi convidado pela islandesa Bjork para participar de seu album Oceanic, e essa participação valeu uma indicação ao prêmio Grammy daquele ano.

Depois de várias colaborações para vários artistas e algumas turnês, atuação em programas de TV e festivais de Jazz,  Schlompo se juntou em 2007 à primeira orquestra de beatbox do mundo, a Vocal Orchestra. Em 2008, o grupo foi uma das atrações do festival Glastonbury, realizando uma apresentação de quase 2 horas com vários convidados ilustres como Martha Wainwright,Reverend and the Makers, Ed Harcourt entre outros.

Vamos ver então performance  ao vivo do grupo Schlompo and the Vocal Orchestra para uma belíssima música da banda inglesa Massive Attack, que está no album Mezzanine, de 1998 e que tem participação de Elizabeth Frazer, cantora de outra banda inglesa chamada Cocteau Twins. A música se chama Teardrop, e é considerada um clássico do Massive Attack, para quem não conhece a música original, ouça abaixo:

Agora veja como ficou essa música nos beatboxes do grupo Schlomo and The Vocal Orchestra, nos vocais de Yvette Riby-Williams:

fonte: Wikipedia

The Soweto Gospel Choir – Jerusalem (live video)

Formado em 2002 na África do Sul pelos promotorues e produtores artísticos Andrew Kay, David Vigo and Clifford Hocking em associação com o diretor musical David Mulovhedzi, o Soweto Gospel Choir vem há 5 anos emocionando o mundo com suas danças típicas, suas roupas coloridas e suas vozes entoando com uma harmonia e musicalidade perfeita.

A primeira aparição em público do grupo foi no show 46664 na Cidade do Cabo, na África do Sul em2003, concerto em homenagem ao lider sul-africano Nelson Mandela e que teve a presença de astros como Bono, Queen, Peter Gabriel, entre outros. Depois disso, foram 4 albuns com canções que vão desde o gospel africano, o Negro Spirituals americano, o reggae até músicas pop americanas em alguns clássicos como ‘Bridge over Trouble Water’, de Simon & Garfunkel.

O Soweto Gospel Choir já realizou show em quase todos os continentes e ganhou vários prêmios internacionais de música e é reconhecido como um dos grandes grupos multiculturais do mundo. Este reconhecimento vem do talento e da qualidade que os cerca de 40 e músicos do grupo executam em suas performances, cantando em inglês, africaner ou mesmo em dialetos africanos.

Vamos ver um video extraído do DVD do grupo, lançado em 2007 de um show que fizeram no Teatro Nelson Mandela , na África do Sul. A música é ‘Jerusalem’ e que também faz parte do album Voices From Heaven. A letra original em Zulu e a tradução em inglês está logo abaixo.

Zulu Traditional

Jerusalem ikhaya lam
Engi lithandayo
Jerusalem ikhaya lam
Engi lithandayo

Wovezwa nini umzamo
Sengi khumble kuwe

Wobanani?
Wobanani amehlo am
Lamasango mahle
Nizi trata zegolide
Zomzi wo sindiso

Jerusalem (English)

Jerusalem is my home
That I love so much
My wishes and hopes are for you
My eyes will see beautiful gates
And the street of gold
Of the City of Salvation MALAIKA (My Beautiful Angel)
I love you my angel
I want to marry you to be my wife
But I don’t have any money to pay for lobola (dowry)
You’re the only angel I think of
You bring happiness to my heart
If I marry you, I’ll be the happiest man

The Manhattan Transfer – Route 66

A trajetória do grupo vocal novaiorquino The Manhattan Transfer baseia-se em duas fases: A primeira de 1969 até 1971 e a segunda de 1972 até agora. O único remanescente da primeira fase do grupo é um dos seus fundadores, Tim Hauser, que seguiu à frente do grupo e o colocou em uma nova perspectiva seguindo o caminho do Jazz e do Swing.

A partir do primeiro contrato do grupo com a gravadora Atlantic e a gravação do seu primeiro Album, intitulado simplesmente como The Manhattan Transfer, o grupo atingiu grande popularidade nos Estados Unidos e na Europa, emplacando o hit gospel  ‘Operator’ ( que até hoje é obigatório em suas apresentações.

A década de 80 foi marcada pelo grupo com muitas premiações em diversas categorias, tais como pop group, Jazz, etc. Em 1987 o grupo grava o album Brasil com produtores, músicos e compositores brasileiros, e recebeu por ele, mais um prêmio Grammy. A consagração do grupo pela crítica veio em 1998 quando eles foram um dos grupos que inauguraram a Vocal Group Hall of Fame, juntamente com os Beach Boys, Supremes, entre outros grupos que fizeram histógria no gênero.

Atualmente, o Manhattan Transfer está divulgando o seu último album: “The Chick Corea Songbook”, gravado em 2009 e que tem a participação do percursionista brasileiro Airto Moreira.

Para ilustrar esse post com  muita elegância, vamos mostrar um dos grandes momentos do grupo: ‘Route 66’, um clássico da música americana e mundial, que faz parte do album e DVD “Great American Songbook”, uma coletânea de grandes canções americanas de todos os tempos, lançado em 2008. As imagens são do lendário estúdio Henson em Los Angeles.